Portal de Notícias e entretenimentos do Litoral de São Paulo

The Who retorna após 13 anos, com álbum que poderia ter sido lançado nos anos 70; G1 ouviu

0

Pete Townshend, 74 anos, e Roger Daltrey, 75, lançam disco ‘WHO’ nesta sexta-feira (6).

É complicada a vida do Who. Ao ouvir o primeiro álbum da banda inglesa após 13 anos sem lançamentos, é inevitável a sensação de “já ouvi isso antes”.

E você pode lidar com isso da forma que quiser:

  • Até que enfim tenho 11 novas músicas que retrabalham tudo o que já usaram (riffs marcantes, letras incisivas, revezamentos de vozes). E ainda é um álbum mais “clássico”, sem feats e sem atualizar beats (sintetizadores, no caso). É rock, precisa de mais?
  • Para que eu vou ouvir paródias de canções dos anos 60 e 70 que eu já sei de cor? Eles não queriam morrer antes de ficarem velhos? Não precisavam morrer, é claro, mas será que tinha como respeitarem o legado, pelo menos?

A capa do novo álbum do Who — Foto: Divulgação

Capa, nome do disco e arranjos deixam claro que a ideia do grupo (hoje, basicamente uma dupla) era fazer tudo o mais simples possível.

O guitarrista Pete Townshend, 74 anos, e o vocalista Roger Daltrey, 75, têm a companhia do baterista Zak Starkey (sim, o filho do Ringo) e do baixista Pino Palladino.

Como a relação entre os dois não é tão amistosa, Pete chegou a dizer ao G1, na primeira e única vinda ao Brasil, que nunca mais lançaria um disco com o Who:

Pete Townshend descarta novo disco do The Who e elogia Kendrick Lamar

Pete Townshend descarta novo disco do The Who e elogia Kendrick Lamar

Mudaram de ideia. Mais de 55 anos após suas primeiras gravações, o Who volta falando sobre o incêndio na Grenfell Tower (“Street Song”, quase neta de “Baba O’Riley”) e sobre reincarnação (“I’ll Be Back”, boa para uma choradinha).

Há outras letras emocionantes, como a de “Beads on one string”, sobre arrependimentos. Na primeira ouvida, porém, a mais impactante é a de “All This Music Must Fade”.

Segundo Pete, a música que abre o disco é dedicada “a todos os artistas que já foram acusados de plagiar a música de alguém”.

“Eu sei que você odiar essa música”, avisa Roger, logo no começo. “O que é meu é seu, o que é seu é meu, o que é meu é seu, o que é seu é meu… Quem se importa com essa p…?”, pergunta Pete, no fim.

É essa sensação de que os dois estão falando e tocando o que querem, sem se importarem muito com a crítica (que, no geral, vem curtindo) que faz “WHO” ser um bom álbum.

E faz sentido que ele seja lançado e elogiado no fim dos anos 2010. Ou no começo dos anos 70.

'The Who' divulga duas músicas do novo álbum

‘The Who’ divulga duas músicas do novo álbum

Newsletter G1 Created with Sketch.

Veja também


Fonte: Pop & Arte – G1

Comentários
Carregando...