Portal de Notícias e entretenimentos do Litoral de São Paulo

‘Agora não é a hora de o Brasil relaxar’, diz OMS sobre combate à pandemia

0

Fala é do diretor de emergências da entidade, Michael Ryan. Diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a situação do país é ‘séria’ e ‘muito preocupante’.

1 de 2 Equipe do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, transfere corpos de pacientes vítimas da Covid-19, no dia 3 de março. — Foto: Diego Vara/Reuters

Equipe do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, transfere corpos de pacientes vítimas da Covid-19, no dia 3 de março. — Foto: Diego Vara/Reuters

O diretor de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, alertou, nesta sexta-feira (5), que o Brasil e outros países não podem relaxar no combate à pandemia. A fala foi proferida depois de líderes da entidade serem questionados sobre o aumento de internações entre jovens pela Covid-19 no país.

“Houve um aumento nacional no Brasil [em número de casos], e isso é de norte a sul. As medidas de saúde pública, sociais e comportamentais param todas essas cepas e variantes. Agora não é a hora de o Brasil ou qualquer outro país, aliás, relaxar”, disse Ryan.

Covid-19 avança nos estados brasileiros

Ryan continuou o alerta dizendo que a chegada de vacinas é um momento de “grande esperança”, mas que também pode fazer com que as pessoas percam o foco no combate à pandemia.

“Se eu acho que vou receber a vacina nas próximas semanas, talvez eu não seja mais cuidadoso. Talvez eu ache que já superei. Você não precisa que muitas pessoas comecem a pensar isso para dar uma chance ao vírus de se espalhar. Nós vimos isso na Europa até o Natal”, lembrou.

“Mudanças pequenas num grande número de pessoas podem levar a uma grande mudança na epidemiologia deste vírus. Acho que já aprendemos isso a esta altura”, disse.

2 de 2 Familiares choram em enterro de vítima de Covid em cemitério em Manaus — Foto: REUTERS/Bruno Kelly

Familiares choram em enterro de vítima de Covid em cemitério em Manaus — Foto: REUTERS/Bruno Kelly

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a situação do país é “séria” e “muito preocupante”.

“A situação no Brasil é muito, muito preocupante. Quando vimos muitas tendências de queda, em muitos países, nas últimas seis semanas, a situação no Brasil ou tinha aumentado ou atingido um platô – mas, é claro, com uma tendência maior de aumento. Eu acho que o Brasil tem que levar isso muito, muito a sério”, afirmou Tedros.

“Sem fazer coisas para impactar a transmissão ou suprimir o vírus, não acho que vamos conseguir ter, no Brasil, a tendência de queda”, alertou o diretor-geral.

“Eu gostaria de sublinhar isso: a situação é muito séria, muito preocupante. As medidas de saúde pública que o Brasil deveria adotar deveriam ser agressivas – enquanto, ao mesmo tempo, distribui vacinas”, recomendou o diretor.

Newsletter G1 Created with Sketch.

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

Veja também


Fonte: Ciência e Saúde – G1

Comentários
Carregando...