Segurança e medicina do trabalho: qual a diferença?

0

Na hora de pensar na saúde dos seus funcionários, existem duas áreas distintas que não podem ser negligenciadas na sua empresa: segurança e medicina do trabalho. No entanto, muitos gestores confundem as duas coisas, o que pode comprometer não só o bem estar dos funcionários da companhia, mas também o exercício de suas atividades.

Apesar de haver uma ligação, essas duas áreas possuem atuações bem diferentes. No post de hoje, vamos explicar as diferenças entre segurança e medicina do trabalho para ajudar você a entender como aplicá-las dentro da sua empresa. Acompanhe!

O que é segurança do trabalho?

A segurança do trabalho é uma ciência que trata da prevenção de acidentes dentro do ambiente profissional. Trata-se de um conjunto de medidas técnicas que devem ser incorporadas na empresa, eliminando e prevenindo os riscos que as atividades de trabalho podem apresenta à integridade física dos funcionários.

Além disso, é de responsabilidade da segurança do trabalho educar a mão de obra da empresa, ensinando-a a respeitar as medidas preventivas determinadas para preservar sua capacidade de colaboração.

Essas medidas respeitam normas técnicas estabelecidas por lei, que buscam proteger o trabalhador tanto dos riscos inerentes à sua atividade (como acidentes com máquinas, contaminação por componentes químicos, etc), quanto de riscos genéricos (como incêndios e choques elétricos).

Os profissionais aptos a atuar dentro dessa área devem ser técnicos ou engenheiros de segurança do trabalho.

O que é medicina do trabalho?

A medicina do trabalho, por sua vez, é a área que atua preservando a saúde do empregado, especialmente ligada às doenças ocupacionais e profissionais. Ela busca atuar em todas as frentes, prevenindo, diagnosticando e tratando as doenças que podem ser causadas pela atividade exercida no trabalho.

O grande objetivo da medicina do trabalho é preservar a qualidade de vida do funcionário, incluindo sua saúde física, mental e social.

Juntamente a isso, deve-se também avaliar a capacidade colaborativa do funcionário para exercer a função que lhe foi designada por meio de exames médicos ocupacionais , tais como o admissional, demissional, periódicos e de mudança ou retorno de função.

Nesse caso, os profissionais devem ser graduados na área da saúde, como médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem.

Mas afinal, qual a diferença entre segurança e medicina do trabalho?

Enquanto a medicina do trabalho se preocupa em manter e preservar a saúde e a qualidade de vida do funcionário, a segurança do trabalho garante a integridade física do mesmo e preservação da sua vida.

Ambas as áreas, portanto, se complementam, sendo responsáveis por zelar pela melhoria do ambiente de trabalho e assegurar condições dignas de execução das atividades à toda equipe da empresa.

A segurança e medicina do trabalho são assuntos que devem ser discutidos constantemente entre empregadores e funcionários. Investir nessas áreas é de fundamental importância para reduzir acidentes e doenças ocupacionais no ambiente profissional, além de trazer diversos outros benefícios tanto para a empresa, quanto para os colaboradores.

Você pode gostar também de Mais do autor

Comentários

Carregando...